50 melhores exemplos de redesign

1 11 2008

O Function, blog com várias dicas de webdesign, montou uma lista com os que seriam os 50 melhores redesigns. O autor relata as posições no ranking são uma mera formalidade – não tem uma ordem de preferência – e que nelas vale tudo: símbolos, logotipos, embalagens, computadores, carros, estádios e até Os Simpsons - Sim temos de admitir que Matt Groening deu um belo retoque, se compararmos com o primeiro esboço.

É interesse ver as evoluções dos símbolos e logotipos das empresas e de produtos. Constáta-se que na maioria os logotipos evoluem no mesmo sentido, simplicidade e modernidade, com tipos de letras mais leves, menos linhas e efeitos 3D. Bom exemplo disso é a AT&T Inc., primeira colocada na lista. Muito inteligente este tipo de “make-over”, com uma mudança subtil mas que dá precisamente esse ar moderno ao mesmo tempo que dá uma certa frescura à marca, sem mudar a imagem totalmente e passar a ideia que já não é a mesma empresa.

Existe também redesigns mais radicais, pessoalmente um dos mais radicais foi o do Firefox, embora não goste do símbolo actual, é um facto que o antigo símbolo era um pouco arcaico, e que depois do “extreme make-over” ganhou um ar muito mais profissional.

Situação parecida foi a mudança de “linguagem” da Amazon, que de um símbolo genérico, criou um logotipo mais moderno e marcante que, em conjunto com a flecha amarela inspira mais confiança, eficiência e agilidade.

Entre os sites, boa parte ganhou uma nova roupinha à lá web 2.0, com visual mais bonito, leve e funcional. Nessa categoria, a melhor transformação foi do site do Obama – candidato à presidência norte-americana -, remodelando em grande estilo e com um visual elegante. Há também comparações entre a versão nova e versão antiga do Ford Fiesta (uau!), da Xbox e do Wembley Stadium, que perdeu o “british old style” em nome de algo mais moderno.

Vê a lista completa aqui.





E com isto…

7 09 2008

faltam apenas algumas horas para a partida. :D

 

Não escrevi mais posts antes da partida como tinha planeado, mas prometo que vou-me esforçar por escrever em viagem.

Só deixar aqui uma nota no que respeita à bagagem. 

Preparar a bagagem para uma viagem destas é coisa digna de um curso intensivo de vários meses, essencialmente pela limitação de espaço e peso. Mas no fundo acaba-se por levar menos roupa do que para uma viagem de 1 semana pois, já que se vai ter de ir lavando, para quê levar mais que o estritamente necessário? E para quê carregar desde já um monte de agasalhos para o frio da Europa, quando se pode compra-los numa feira local quando lá se chegar?

O verdadeiro problema não é a roupa mas sim toda a panóplia de equipamentos e acessórios.  Vejamos então.

Mochilas e sacos

- Mochila Qechua Symbium 60 litros, sem possibilidade de transporte com rodinhas :( , onde levo a roupa, artigos de higiene, livros e outras coisas que posso “facilmente” substituir em caso de perda ou roubo. É o saco que pode ir para os porões das camionetas, que pode ser deixado num depósito de bagagens ou na recepção de uma pousada.

- Mochila Dakine 15 litros, que servirá para o dia-a-dia e quando for seguro deixar o resto da bagagem num sitio seguro, vai prensada algures no meio da roupa e acessórios.

- Porta documentos de peito Samsonite, para documentos, os bilhetes, dinheiro, cartões bancários, etc. Ou seja, tudo o que não posso perder! Vai andar sempre colada ao meu peito, quase como uma extensão do meu corpo.

- Bolsa de cintura Gravis, mesma utilidade do porta documentos, bastante discreta ficando por baixo da roupa, dá sempre jeito…

- Saco de toillete Camel, para os produtos de higiene pessoal.

- Saco para a prancha FCS

Equipamento electrónico

- Câmera fotográfica digital Canon IXUS 50 + respectivos acessórios (bolsa de transporte, carregador e cabo USB)

- iPod Nano 2GB + respectivos acessórios (kit de carregamento, phones e saída para 2 phones)

- Telemóvel Nokia N80 + carregador

Equipamento de surf

- Prancha de surf: John Carper 6’0″

- Fato Body Glove 4/3mm

- Botinhas O’neil 3mm

- Leash, quilhas, wax, tape e chaves

Livros

Os livros, são um pouco como as pranchas de surf, são uma coisa ingrata de transportar porque ocupam algum espaço e pesam bastante na mochila. Não sendo o leitor mais assíduo do mundo, uma viagem destas pede um bom livro para servir de companhia nos vários momentos “mortos”.

Desta lista ainda vou escolher qual vou levar.

- Tokyo ano zero, David Peace

- Quem é lou Sciortino, Ottavio Cappellani

- Mandela, meu prisioneiro, meu amigo, James Gregory e Bob Graham

- Surfing Europe, Chris Nelson e Demi Taylor (este é indispensável, com informações sobre spots para surfar, como lá chegar, locais para comer e dormidas)

Roupa, calçado e acessórios

- 5 t-shirts + 1 manga comprida

- 1 par de calças

- 1 par de calções + 1 de praia

- 5 pares de boxers + meias

- 1 sweat/casaco

- 1 impermeável

- 1 par de tennis

-1 par de chinelos

- 2 toalhas

- 1 saco de cama

-1 par de óculos de sol

- 1 monóculo

- 1 canivete/multi funções

- Produtos de higiene pessoal

- Kit medicamentos e primeiros socorros

 

Mais coisas menos coisa…





Novo hotel de luxo na Áustria?

17 08 2008

Vejam só estas fotos:

Descobriram? :D

Acreditem se quiserem: Este edifício não é nem nunca será um hotel, mas a parte da Áustria é verdade. Trata-se de uma prisão 5 estrelas, provavelmente a única no mundo! Leram bem, mas vou repetir: é uma prisão de luxo!

Localizada na cidade de Styria e com capacidade para 200 prisioneiros, trata-se da Justizzentrum Leoben. O grande problema é que uma prisão destas pode incentivar alguns loucos a cometerem crimes só para ir para lá. Com certeza é melhor que muitas das nossas casas… E não mostrei mesas de ping pong, ginásio…

Quem sabe não mude o itinerário só para ir passar uns dias descansado aqui… Que dizes Pescador?





Itinerário

17 08 2008

Primeiro que tudo é importante referir que a viajem tem como objectivo principal surfar o mais possível.

A principio a ideia era ir para Marrocos, mas depois de nos informarmos e discutirmos o assunto acabamos por concordar que seria melhor ficarmos na Europa. A ideia então seria apanhar um avião até à Holanda, ficarmos por lá 5 dias e comprarmos um bilhete de 15 dias de InterRail “começando” a viagem de ai. Para nosso desgosto, essa modalidade (bilhete de InterRail) deixou de existir, por isso tivemos de achar outra solução. A solução que arranjamos foi a mais fácil e económica, comprar um bilhete de InterRail de 22 dias e começar a viagem de Lisboa.

O itinerário planeado para 23 dias de viagem, foi em traços gerais, o seguinte:

Dia 1: Vai ser passado em Madrid, visto que chegamos de manhã e só temos comboio para Paris à noite. Durante o dia vamos estar no Xanadu Center, onde existe um recinto fechado enorme para a pratica de snowboard.

Dia 2: Será dedicado quase exclusivamente a viajar, vamos directos de Madrid para Paris e logo de seguida para ‘s-Hertogenbosch, cidade Holandesa.

Dia 3: Afalst será o destino final, nesta primeira etapa. Aqui ficaremos as próximas 4 noites num Hostel. 

Dia 4, 5, 6, 7: Aqui temos muitas opções, encontramo-nos num sitio onde podemos em pouco tempo estar nas principais cidades como Amsterdão, Roterdão, Bruxelas, e ainda conhecermos outros sítios.

Dia 8, 9: Aqui começaremos a nossa viagem para norte em direcção ao nosso destino mais desejado, Bretanha. No entanto, poderemos fazer uma breve paragem em Paris, para realizarmos algumas actividades culturais e nos divertirmos no Park Asterix.

Resto dos dias: Bem a ideia é ficar o máximo de tempo na Bretanha, em especial na península de Crozon. Ainda iremos a Hossegor e Biarritz onde vamos apanhar uns dias da Etapa do WCT(campeonato do mundo de surf). Se ainda sobrar tempo, tentaremos ir ao Pais Basco mais propriamente Mundaka, uma vila famosa, também em parte porque o WCT tem uma etapa ai.

 

Estes planos não estão totalmente definidos e por isso os destinos serão decididos ao longo da viagem, conforme a disposição, disponibilidade de tempo e dinheiro.





Summer travel series

15 08 2008

Decidi escrever qualquer coisa sobre a viajem que vou fazer. Acho uma boa maneira de me obrigar a escrever qualquer coisa, enquanto vou partilhando algumas experiências com as pessoas que de vez em quando passam aqui.

A ideia é fazer posts variados relacionados com a viajem, antes de ir, no decorrer e depois da viajem.

Ainda tenho umas três semanas, por isso podem contar com alguma coisa neste tempo.





Como não mandar um E-mail

11 08 2008

Ou 5 maneiras de tornar um e-mail mais interessante

 

  • Quando mandam um e-mail a mais do que uma pessoa, usem SEMPRE o campo Bcc. Para aqueles que não sabem, Bcc significa Blinding Carbon Copy, e o que faz, é que esconde todos os endereços de e-mail uns dos outros, o que é bom, primeiro porque as pessoas do grupo não querem necessariamente o endereço dos outros, e segundo porque muito provavelmente também não querem que os seus endereços sejam distribuídos. Outra vantagem é quanto menos endereços forem vistos mais pequeno é o risco de serem automaticamente apanhados por spammers. E quando isso acontece, perdemos todos.

 

  • Ao invés de mandarem e-mails com video attachements, enviem apenas o link para o video. Antes de haver os sites como o Youtube, era comum as pessoas mandarem manualmente os vídeos de umas para as outras e um monte de outros ficheiros. Hoje isso não é mais necessário, simplesmente enviem o link para as pessoas clickarem nele. Isto é muito mais fácil por vários motivos. Os vossos amigos podem apenas ter acesso à Internet na escola ou no trabalho e muitas vezes nesses sítios o acesso é restrito à internet e sacar vários Mb’s não é uma opção. Alem disso, os computadores podem não ter instalados leitores que possibilitem o visionamento dos mesmos. No entanto, é muito comum esses computadores terem web browsers actualizados, portanto ver vídeos via links não deve ser um problema. Por isso esqueçam os irritantes attachements e simplesmente “linkem-nos”!

 

  • O que há com as apresentações de Powerpoint? Tenho mesmo de fazer o download deles para o meu computador para os abrir, apenas para ver que foi um completo desperdício do meu tempo? Felizmente alguns provedores de e-mail (como o Gmail) deixam-nos abrir estes ficheiros no browser e dar uma vista de olhos rápida, no entanto, muitos outros não deixam, e voltamos ao mesmo. Estou farto de receber os mesmos “.pps” uma e outra vez e ainda mais uma vez, com os gatos sorridentes, com bonitas paisagens e com questões morais… Quem faz estas coisas? Tenho a sensação que estes e-mails são os mesmos dos anos 90, circulando na Internet de e-mail para e-mail num vasto circulo de vida, ou melhor, um grande circulo de desperdício do nosso tempo. 

 

  • Urban Email Myths. Se receberem um mail que parece demasiado assustador/inacreditável para ser real, É PORQUE PROVAVELMENTE NÃO O É. A Nokia NÃO está a oferecer telefones, a Microsoft NÃO vai pagar a ninguém por reencaminhar mensagens e não existe nenhuma rapariga indiana que precisa de um transplante de um dente de elefante. Das poucas vezes que realmente li um e-mail deste tipo, precisei apenas de 10 segundos para encontrar no Google que era apenas outra fraude. Por isso, se querem que os vossos amigos acreditem em vocês de cada vez que abrem a boca, NÃO REENCAMINHEM NADA sem primeiro verificarem se é verdadeiro. E a desculpa de:  “não sei se é verdade mas quero-te dar a conhecer…” também não é valida. Se têm duvidas da veracidade, APAGUEM A MENSAGEM, não nos enviem lixo em forma de Urban Email Myths!

 

  • Mantenham os vossos e-mails curtos. Estudos mostram que o utilizador médio da Internet passa 4 segundos em qualquer pagina. Depois o interesse começa a dissipar-se… Depois temos tantas outras coisas boas para fazer on-line, é injusto tomarmos tanto tempo das pessoas com e-mails longos. Uma regra a ter em conta: Se ao reler a mensagem acharem que é comprida demais, é porque é de facto comprida para os outros a lerem também. Se for uma notícia interessante e querem que outras pessoas fiquem a saber, mandem simplesmente o link para a notícia e talvez uma breve opinião vossa. Se mandarem a história completa no e-mail… Lembram-se do que disse acerca dos 4 segundos? Certo… Isso é o tempo que uma pessoa perde para identificar um e-mail como desinteressante e marcá-lo como lido. Por isso, mandem simplesmente o link e mais algumas palavras, e deixem as pessoas se interessarem (ou não) e ler o resto.

 

Mais sugestões ou correcções são bem vindas.





Viajar ou turistar?

4 06 2008

Boa pergunta!

Esta questão vem muito a propósito, hoje falava com uma amiga sobre os nossos planos para o verão, quando cheguei a casa e na divagação habitual pelo mundo da net encontro um video muito engraçado, mas ao mesmo tempo muito serio, que aborda esta questão…

Será que são coisas diferentes? Ou será a mesma coisa?

Julgo que são coisas destintas, e pensado em ferias que já fiz consigo identificar e distinguir quando fui viajante e quando fui turista.

Tem muito a ver com a atitude que se encara em primeiro lugar, e depois tem a ver como realmente foi importante a viajem para o crescimento enquanto pessoa.

Para ver o video clicar aqui.

 

“Não são as pessoas que fazem viagens. São as viagens que fazem as pessoas.”

 

Boas viagens!








Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.