Como não mandar um E-mail

11 08 2008

Ou 5 maneiras de tornar um e-mail mais interessante

 

  • Quando mandam um e-mail a mais do que uma pessoa, usem SEMPRE o campo Bcc. Para aqueles que não sabem, Bcc significa Blinding Carbon Copy, e o que faz, é que esconde todos os endereços de e-mail uns dos outros, o que é bom, primeiro porque as pessoas do grupo não querem necessariamente o endereço dos outros, e segundo porque muito provavelmente também não querem que os seus endereços sejam distribuídos. Outra vantagem é quanto menos endereços forem vistos mais pequeno é o risco de serem automaticamente apanhados por spammers. E quando isso acontece, perdemos todos.

 

  • Ao invés de mandarem e-mails com video attachements, enviem apenas o link para o video. Antes de haver os sites como o Youtube, era comum as pessoas mandarem manualmente os vídeos de umas para as outras e um monte de outros ficheiros. Hoje isso não é mais necessário, simplesmente enviem o link para as pessoas clickarem nele. Isto é muito mais fácil por vários motivos. Os vossos amigos podem apenas ter acesso à Internet na escola ou no trabalho e muitas vezes nesses sítios o acesso é restrito à internet e sacar vários Mb’s não é uma opção. Alem disso, os computadores podem não ter instalados leitores que possibilitem o visionamento dos mesmos. No entanto, é muito comum esses computadores terem web browsers actualizados, portanto ver vídeos via links não deve ser um problema. Por isso esqueçam os irritantes attachements e simplesmente “linkem-nos”!

 

  • O que há com as apresentações de Powerpoint? Tenho mesmo de fazer o download deles para o meu computador para os abrir, apenas para ver que foi um completo desperdício do meu tempo? Felizmente alguns provedores de e-mail (como o Gmail) deixam-nos abrir estes ficheiros no browser e dar uma vista de olhos rápida, no entanto, muitos outros não deixam, e voltamos ao mesmo. Estou farto de receber os mesmos “.pps” uma e outra vez e ainda mais uma vez, com os gatos sorridentes, com bonitas paisagens e com questões morais… Quem faz estas coisas? Tenho a sensação que estes e-mails são os mesmos dos anos 90, circulando na Internet de e-mail para e-mail num vasto circulo de vida, ou melhor, um grande circulo de desperdício do nosso tempo. 

 

  • Urban Email Myths. Se receberem um mail que parece demasiado assustador/inacreditável para ser real, É PORQUE PROVAVELMENTE NÃO O É. A Nokia NÃO está a oferecer telefones, a Microsoft NÃO vai pagar a ninguém por reencaminhar mensagens e não existe nenhuma rapariga indiana que precisa de um transplante de um dente de elefante. Das poucas vezes que realmente li um e-mail deste tipo, precisei apenas de 10 segundos para encontrar no Google que era apenas outra fraude. Por isso, se querem que os vossos amigos acreditem em vocês de cada vez que abrem a boca, NÃO REENCAMINHEM NADA sem primeiro verificarem se é verdadeiro. E a desculpa de:  “não sei se é verdade mas quero-te dar a conhecer…” também não é valida. Se têm duvidas da veracidade, APAGUEM A MENSAGEM, não nos enviem lixo em forma de Urban Email Myths!

 

  • Mantenham os vossos e-mails curtos. Estudos mostram que o utilizador médio da Internet passa 4 segundos em qualquer pagina. Depois o interesse começa a dissipar-se… Depois temos tantas outras coisas boas para fazer on-line, é injusto tomarmos tanto tempo das pessoas com e-mails longos. Uma regra a ter em conta: Se ao reler a mensagem acharem que é comprida demais, é porque é de facto comprida para os outros a lerem também. Se for uma notícia interessante e querem que outras pessoas fiquem a saber, mandem simplesmente o link para a notícia e talvez uma breve opinião vossa. Se mandarem a história completa no e-mail… Lembram-se do que disse acerca dos 4 segundos? Certo… Isso é o tempo que uma pessoa perde para identificar um e-mail como desinteressante e marcá-lo como lido. Por isso, mandem simplesmente o link e mais algumas palavras, e deixem as pessoas se interessarem (ou não) e ler o resto.

 

Mais sugestões ou correcções são bem vindas.





Apple computers

3 06 2008

Apple old logoApple Inc. empresa de produtos tecnológicos fundada à 32 anos.

Empresa que tem vindo a revolucionar este sector, no que diz respeito a produtos de uso pessoal.

Começando por ser a empresa responsável pelo primeiro computador pessoal acessível a leigos. Com o seu computador chamado Apple Lisa em 1976, no qual introduziu uma ferramenta que hoje todos os computadores utilizam, o rato, talvez a ferramenta física mais importante inventada até hoje, que possibilitou a larga adopção dos computadores pessoais.

Hoje em dia os computadores da Apple são vistos por muitos, apenas pelo seu lado estético… Ponto que eu discordo pelo menos em parte… É inegável que o design dos computadores da Apple são imbativeis, prova disso é o mercado estar infestado de imitações… Mas essa não é a característica fundamental dos seus computadores nem de perto nem de longe.

Primeiro  computador que mexi foi um Apple, um PowerBook da primeira geração, mas não sei ao certo que modelo… Nunca dei grande importância aos seus computadores.

Na verdade só à uns anos comecei a dar-lhes importância, precisamente por causa do design, quando começaram a não ter aparência de um computador (a habitual caixa branca, com uma catrefada de fios pendurados e um monitor muito gordinho). Entrava nas lojas e ficava fascinado com os seus produtos.

Até à um ano ou dois, um amigo meu comprar um iBook G4… Ao primeiro contacto fiquei apaixonado, com a simplicidade, facilidade, funcionalidade, e claro, a beleza.

Entretanto  à uns meses comprei o meu primeiro Mac, e tudo o que eu esperava dele foi cumprido… Cumpriu e ainda deu mais um bocado.

Tudo funciona exactamente como eu esperaria que funcionasse, tudo está bem integrado, parecendo que tudo foi feito pela mesma pessoa, tal a forma harmoniosa como todo o conjunto funciona.

Há um tempo li um artigo que falava de um estudo que dizia que a exposição aos produtos da Apple tornava as pessoas mais criativas. Achei parvoíce, não dando grande credibilidade. Verdade ou não o facto é que me sinto mais criativo em todos os trabalhos que faço num macintosh, efeito placebo? Talvez… Mas não quero saber, estou incrivelmente satisfeito com a minha compra, e tão cedo não vou trocar a plataforma Mac por nenhuma outra.

Mais uma vez a Apple veio revolucionar… Revolucionar a minha maneira de interagir com os computadores e tornar-me mais produtivo.

 

Filmei a entrega e a  abertura do meu MacBook, depois foi só edita-lo:


Só possivel devido à genialidade dos produtos vindos de Cupertino, Califórnia.

 

Observação: O logo que está no inicio é um logo antigo da Apple que já não é utilizado, mas continuo a acha-lo lindo.
Observação 2: Se quiserem assistir ao video com boa qualidade, e verem mais informações, comentários, etc, sigam este link.